Série BMW 3 E30

desde 1983-1994 lançamento

Reparo e operação do carro



BMW E30
+1. Instrução de manutenção
+2. Manutenção
+3. Motor
+4. Esfriamento de sistema
+5. Aquecer-se e ventilação
+6. Sistema de combustível
+ 7. Sistema de escape
- 8. Transmissões
   +8.1.2. Especificações
   -8.2. Câmbio automático
      8.2.2. Especificações
      8.2.3. Diagnóstica de câmbio automático
      8.2.4. Esboço do selecionador de transmissão
      8.2.5. fio de pontapé - abaixo - o modo
      8.2.6. O bloqueio que apoia sinal liga / comutador
      8.2.7. Remoção e instalação de transmissão
      8.2.8. Epiploons de câmbio automático
      8.2.9. "Máquina automática"
+9. União
+10. Sistema de freios
+11. Gerência de engrenagem
+12. Corpo
+13. Equipamento elétrico
+14. Dicas úteis
27a7f495



8.2.9. "Máquina automática"

INFORMAÇÃO GERAL

Tudo que deverá você, deve estudar a posição do selecionador de alavanca da gestão de transmissão e as suas posições principais:

P – estacionamento (estacionando freio);

R – inverso (apoio);

N – neutral;

D – avanço.

Deste modo, começa o motor, põe a alavanca na posição D – e foi... Até que chegue ao lugar e não apague o motor. O carro no processo de apertar um pedal de próprio "gás" começará, transferências de comutador, para dispersar-se, parar.

Naturalmente, até a "máquina automática mais inteligente" não pode "adivinhar" que virá na sua opinião durante um ou dois segundos. Trabalha como se com o atraso: em uma caixa mecânica já trocaria a transferência, tendo-se preparado, por exemplo, para o ultrapassamento, e "a máquina automática" trocará a transferência só enquanto aperta "o gás" e começará a colher. Por isso, em todas as "máquinas automáticas" as funções adicionais introduzem-se: a posição do selecionador de alavanca e (se a transmissão tem o controle eletrônico) o comutador de programas.

Vamos considerar nomeação e funções destes dispositivos adicionais no exemplo de BMW 750.

P – R – N – já é claro. A seguinte posição – D. Nesta posição do selecionador de alavanca o computador de bordo, recebendo um sinal do sensor da provisão de um pedal da provisão do combustível e do sensor de velocidade do carro, troca transferências – desde o princípio (o mais baixo) ao quarto (aceleração). Frear pelo motor depositando "o gás" não acontece. Mas que fazer se é necessário, por exemplo, no caminho escorregadio ou na descida?

As ações simples – forçosamente incluem as transferências necessárias para você correspondendo às provisões do selecionador de alavanca 3 - 2 – 1: tendo depositado "o gás" e tendo trocado a alavanca em 3, vai se sentir evidente freando pelo motor na variedade de 100 (na velocidade mais alta que não é necessário usar) a 40 km/h. Além disso, tendo acendido 2, é possível frear-se aproximadamente 15-20 km/h, e tendo incluído 1, vai se mover para uma parada cheia. Recomenda-se no bom caminho livre com antecedência treinar-se e aprender a frear o motor para sentir a eficiência de tais ações como consideravelmente se diferenciam "da mecânica" habitual para nós.

O comutador de programas tem três provisões: S – o modo de esportes, E – econômico, M – manual. Na posição de modo manual da alavanca o selecionador corresponde à transferência incluída. Assim, tem uma oportunidade de fazer funcionar a transmissão como semi-automático. É conveniente no momento do movimento no caminho escorregadio, areia, na sujeira isto é onde as modificações agudas da força em uma roda são inadmissíveis.

O modo de esportes diferencia-se do econômico só no fato que os deslocamentos de engrenagem acontecem em grandes voltas do motor.

Em carros de outras firmas o selecionador de alavanca pode emitir-se diferentemente, mas funções e caminhos as mesmas gestãos. Deste modo, em carros americanos e japoneses modernos depois que um neutral lá é o modo D que significa a sobremarcha (O.D). também corresponde ao quarto, engrenagem de sobremarcha. Às vezes no selecionador de alavanca só há as posições para a frente (D, 2 e 1) e há um botão da paralisação de inclusão de uma sobremarcha (JEEP Grand Cherokee, LINCOLN VIII marcas, etc.). Neste caso para apagar da quarta transferência é necessário acender o botão na situação "O.D.off".

É necessário prestar a atenção que em muitos carros de FORD americanos (Touro, Escolta, Carro da Cidade) o selecionador de alavanca tem posições O.D., D e 1, isto é é impossível incluir forçosamente a segunda transferência que limita uma possibilidade da frenagem ao motor e os movimentos em subidas.

Os proprietários de carros com o câmbio automático têm de seguir várias regras:

Verifique o nível de óleo em uma caixa pelo menos duas vezes por mês.

Ao mesmo tempo é necessário lembrar-se de que:

 – o nível de óleo só verifica-se no motor de trabalho;
 – na tenta normalmente há etiquetas tanto para o óleo frio, como para o quente. Se em uma temperatura de etiqueta na qual é necessário verificar o nível de óleo não se indicar, faça-o só em uma caixa aquecida – depois de 10–15 km de uma corrida;
 – o nível de óleo verifica-se, por via de regra, em um estacionamento (Р). Na tenta seguramente há uma inscrição que especifica um caminho do cheque. Deste modo, no JEEP GRAND CHEROKEE o nível de óleo só verifica-se para o neutral.

Faz a substituição de óleo em uma caixa por 30.000 km de uma corrida.

Ao mesmo tempo é necessário considerar que óleo universal de câmbios automáticos – Dextron. O óleo moderno indica-se por Dextron III. Pode misturar-se com óleos das marcas prévias (Dextron II, IID e IIE). Tem vyaznost mais estável e aditivos mais potentes que melhoram o trabalho de uma caixa. Em transmissões da produção o óleo de CHRYSLER MOPAR ATF PLUS que com o êxito pode substituir-se com Dextron III usa-se. Já que as transmissões da produção de ZF também usam o óleo como Dextron, contudo em BMWs 540 e 740 carros ESSO só sintético ATF TENENTE 71.141 óleo usa-se. Usa-se em todas as transmissões desta firma que tem a etiqueta de companhia verde. É possível misturar óleos se necessário, mas é indesejável.

Reboque o carro com uma caixa automática não além disso de 30 km e com uma velocidade não mais do que 50 km/h em caso de que o motor é defeituoso ou em uma caixa não há óleo.

Lembre-se de que na emergência é possível rebocar o carro em uma longa distância, mas é necessário preencher na transmissão além disso 2–3 l de óleo que todos os detalhes literalmente banharam nele.

Evite que um motor superaqueça como pode levar a um agudo superaquecem do óleo em uma caixa e, por conseguinte, ao fracasso de uma caixa.

E o último: no momento de emergência do barulho, vibração, empurrões rígidos no momento do deslocamento de engrenagem, os switchings apertados etc. imediatamente dirigem-se aos centros especializados do reparo de câmbios automáticos, especialmente na presença no seu carro da transmissão eletronicamente controlada. A diagnóstica oportuna prevenirá preços consideráveis do reparo.

Não tente eliminar independentemente o mau funcionamento – a sua curiosidade, a autoconfiança e a economia em "kulibiny" custarão muito.